Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Max Informa > Manobra Escolar do DECEx 2017
Início do conteúdo da página
Manobra Escolar do DECEx 2017

Chegada das Tropas e Treinamentos
Resende (RJ) - Os dia 6, 7 e 8 de novembro foram dedicados à recepção das tropas que compõem a Manobra Escolar 2017 e à sua preparação. Ao todo 4,3 mil militares farão parte do Exercício, seja atuando efetivamente no terreno ou em atividades de apoio.
Além disso, uma série de treinamentos foram realizados antes na imersão da tropa no terreno. Antes de realizarem a transposição do Rio Paraíba do Sul, programada para o sábado, 11 de novembro, os militares do Curso de Engenharia da AMAN e da EsSA e do Curso de Infantaria da EsSA realizaram um treinamento para que a ação real ocorra de forma eficaz e organizada.
Apronto Operacional
Na manhã desta quinta-feira, os militares envolvidos na Manobra Escolar realizaram o Apronto Operacional. Cada fração e seu respectivo comandante ocuparam suas posições no terreno para a realização dos Exercícios Simulados.
Instrumentos e armamentos de alta tecnologia, como o Radar Saber, o blindado Guarani, e o lançador de mísseis e foguetes ASTROS serão empregados, para que os alunos dos diversos estabelecimentos de ensino do Exército tenham contato e familiaridade com a sua utilização. Até a próxima segunda-feira as tropas permanecerão em atividade para que todos os objetivos de ensino da Manobra Escolar sejam atingidos.

Artilharia atesta seu poder de fogo na Manobra Escolar 2017
A Artilharia realizou exercícios de tiro na manhã desta sexta-feira, na região do Morro do Macuco, no Campo de Instrução da AMAN. Foram realizados os tiros de obuseiro autopropulsado e também do lançador de mísseis e foguetes ASTROS.
Superficialmente parecida com carros de combate, a artilharia autopropulsada pode ser considerada uma revolução tecnológica da artilharia de campanha. Suficientemente blindado para proteger seu pessoal contra tiros de armas leves e estilhaços de granadas, os obuses autopropulsados possuem a grande vantagem de sair e entrar das posições de tiro com maior rapidez e agilidade.
Já as viaturas lançadoras de mísseis e foguetes, pertencentes ao Programa Estratégico ASTROS 2020, fazem parte de um processo de aumento do poder de dissuasão do Exército Brasileiro ao possuir um sistema de apoio de fogo de longo alcance e com elevada precisão. O Sistema ASTROS 2020 foi concebido e elaborado pela empresa brasileira AVIBRAS, sediada em São José dos Campos (SP).

1º Btl DQBRN realiza exercício de descontaminação de pessoal e viaturas
Equipados com vestimentas e materiais próprios para a atividade, o 1º Batalhão de Defesa Química, Biológica, Radiológica e Nuclear realizou um exercício de descontaminação de pessoal e viaturas na tarde desta sexta-feira, 10 de novembro. Após serem atestados os graus de contaminação, são realizados os procedimentos para depuração, que vão desde a limpeza da área contagiada, até o isolamento dos indivíduos, para evitar a proliferação dos agentes contaminantes.

A Infantaria da AMAN avança na Manobra Escolar
A tropa de homens a pé, capaz de subjugar qualquer terreno em quaisquer condições realizou uma série de exercícios operacionais nos últimos dias. Desde técnicas para o emprego da tropa com aeronaves e blindados até o investimento em área urbana em situação de conflitos irregulares foram explorados pelo Curso de Infantaria da AMAN. Os Cadetes que constituem o 84º Batalhão de Infantaria Mecanizado, a 1ª Companhia de Fuzileiros Blindada e o 551º Batalhão de Infantaria Leve, compostos para a Manobra Escolar, tiveram a oportunidade de entrar em contato com tropas de diversos locais e absorver os conhecimentos para o emprego tático da Infantaria no combate contemporâneo.

O Hospital de Campanha do Exército na Manobra 2017
Como são tratados os feridos em combate? Como são evacuados se houver necessidade de atendimento mais especializado? É evidente que as situações reais de conflito armado acabam impondo um elevado número de baixas (situações em que o militar deixa de atuar pois está doente ou ferido) e a estrutura logística do Exército Brasileiro deverá ser capaz de prestar desde os primeiros socorros e atendimentos simples até as cirurgias mais complicadas, tratando o militar. Há então uma cadeia de evacuação. O militar será atendido no posto de socorro mais próximo, sendo evacuado para instalações com melhores estruturas de atendimento, conforme sua situação de saúde obrigar.
Na Manobra Escolar 2017, esses aspectos estão sendo treinados por meio de simulações. Dessa forma, as equipes de médicos, dentistas, enfermeiros e auxiliares poderão realizar seu aperfeiçoamento, vivenciando situações em que deverão prestar o apoio de saúde necessário para a tropa. Mas, no contexto do exercício militar que está sendo realizado, haverá também a vivência das situações impostas pelo grande cenário de simulação que é a Manobra Escolar, no qual as estruturas logísticas se constituem alvos compensadores para o inimigo. Assim, todas as instalações de saúde deverão estar camufladas e devem contar com uma estrutura de segurança no seu entorno.
 
Neste exercício de 2017 como em outras edições, a Manobra Escolar conta com o Hospital de Campanha do Exército prestando o apoio de saúde para a tropa e elevando o nível de seu treinamento. O Hospital de Campanha é um complexo hospitalar móvel, que reúne pessoal, equipamentos e instalações para prestar atendimento em áreas em que o apoio à saúde é vital, mas não está disponível, ou é precário e limitado nos estabelecimentos locais de atendimento. A quase totalidade das instalações são montadas em contêineres especializados. Para seu desdobramento no terreno, que ocorre de maneira extremamente rápida, utiliza contêineres com padrão ISO que podem ser transportados por meio aéreo, aquático, ferroviário ou rodoviário.

Dessa forma, o contexto de realização da Manobra Escolar confirma a doutrina militar e passa para cada combatente a noção de que sempre poderá contar com o apoio de saúde em caso de ser vitimado pelos diversos riscos que o combate moderno impõe.

Estágio de Correspondentes em Assuntos Militares
 A guerra moderna possui uma série de agentes internos e externos, as sociedades interessam-se não apenas em saber, mas principalmente, em entender os conflitos, as suas razões, causas e consequências. Neste contexto, o papel da imprensa é primordial, pois ela atua como os olhos da opinião do público sobre os conflitos armados.
Dezoito estudantes de comunicação social, futuros profissionais da mídia, integraram a Manobra Escolar 2017. Após receberem instruções sobre a segurança da imprensa no ambiente de conflito armado e tomarem conhecimento sobre a guerra simulada que se desenrola ao longo desses dias, começaram a atuar como a imprensa no combate: entrevistaram comandantes e chefes e frações, percorreram o Teatro de Operações, produziram conteúdo midiático, conheceram e se familiarizaram com a atuação do Exército Brasileiro.
Em consequência, os futuros comandantes tiveram a oportunidade de perceber que o ambiente nos quais ocorrem os confrontos é extremamente complexo e puderam exercitar de que forma podem utilizar a atuação da mídia a seu favor.

Investimento na localidade de Quatis reforça a atuação da Infantaria em ambiente humanizado
Os conflitos em ambientes urbanos fazem parte de uma das mais frequentes atuações operacionais do Exército Brasileiro. Nas operações de imposição e manutenção da paz, como ocorrido no Haiti, ou nas Operações de Cooperação e Coordenação com Agências - Garantia da Lei e da Ordem, realizadas em diversas cidades brasileiras, é imprescindível que o combatente moderno consiga atuar em ambientes citadinos, com a presença da população civil, garantindo a estabilização da localidade.
Durante a Manobra Escolar o município de Quatis- RJ foi utilizado como local de simulação de um investimento em ambiente urbano. As tropas de Infantaria, formadas pelo 84º Batalhão de Infantaria Mecanizado e a 1ª Companhia de Fuzileiros Blindada, compostas para o exercício, tiveram a oportunidade de praticar o isolamento, bloqueio, investimento e controle de uma zona urbana dominada por uma força adversa.
Com isso, os futuros oficiais e as praças em formação enriqueceram o seu arcabouço de conhecimentos e chegarão às suas próximas organizações militares muito mais preparados para atuar em situações desta natureza, no Brasil e no exterior.

Profissionais de saúde prontos para o combate
Os oficiais alunos da Escola de Saúde do Exército e os praças de saúde da Escola de Sargentos de Logística atuaram de forma contínua e integrada durante a Manobra Escolar 2017. No contexto do exercício, que simula o combate contra forças irregulares em ambiente predominantemente urbano, os alunos tiveram a oportunidade de realizar o atendimento aos militares baixados em situações simuladas. A evacuação dos feridos, seja por meio de viaturas ambulância, seja por via aérea, reforçou a prioridade na agilidade do atendimento médico de urgência e emergência.
O objetivo de tais treinamentos é manter o Corpo de Saúde do Exército em condições de atuar nas diversas operações militares, principalmente naquelas em que há confronto real entre as tropas e os agentes perturbadores da segurança.

Trabalho da Engenharia na Manobra Escolar
A Engenharia é uma Arma com características técnico-combatentes responsável pela mobilidade e proteção das tropas aliadas, com a abertura das passagens através de obstáculos naturais e artificiais em direção aos objetivos definidos pelo escalão superior, pela contramobilidade das tropas inimigas, dificultando o seu avanço com a construção e agravamento de obstáculos, lançamento de minas e armadilhas, e pelo apoio geral de Engenharia, com reconhecimentos especializados, levantamento da capacidade das pontes, levantamento e retirada de campos minados, construção e manutenção de pontes e estradas e outras atividades.
Acompanhando a modernização do material militar adquirido pelo Exército Brasileiro, a Engenharia recebeu novos equipamentos, aumentando sua capacidade de apoio, como é o caso da mobilidade proporcionada pela Viatura Blindada Especial de Engenharia (VBE Eng) e mesmo desenvolvendo novas capacidades, como é o caso da criação do Destacamento Especial de Destruição de Artefatos Explosivos (DEsp DAE). Na Manobra Escolar 2017, a Engenharia está atuando no amplo espectro do conflito utilizando alguns destes novos equipamentos e capacidades.
A Brigada Agulhas Negras conta com a 21a Companhia de Engenharia Mecanizada (21a Cia E Cmb Mec), reforçada com 01 pelotão de Engenharia Aeromóvel, 01 pelotão de Engenharia Blindado e 01 Portada Pesada, além de um DEsp DAE. Com estas capacidades, a Companhia reforçou as tropas que constituem a Brigada Agulhas Negras com um pelotão de combate de mesma natureza para cada tropa apoiada, além de manter 02 pelotões de Engenharia de Combate, 01 Pelotão de Engenharia de Apoio (constituído de Equipamentos especializados de Engenharia) e o DEsp DAE para prestar apoio ao conjunto, o que significa que as capacidades sob o comando do Comandante da Companhia serão utilizadas em prol da Brigada como um todo.
O comando da Companhia e seu Estado Maior é constituído por Oficiais alunos da Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais (EsAO), auxiliado por Cadetes do 4o Ano na função de Adjuntos de Seção. Os Pelotões são comandados por Cadetes do 4o Ano e possuem em sua constituição Cadetes do 2o e 3o Anos, sendo que alguns pelotões são constituídos por alunos da Escola de Sargento das Armas (EsSA). A Companhia recebeu apoio de outras Armas e Serviço: o pelotão de Comunicações é constituído por Cadetes da Arma de Comunicações e o aprovisionador e seu auxiliar são Cadetes do Serviço de Intendência. Além disso, a turma de Comando recebeu alunas da Escola de Saúde do Exército e Alunos de Saúde e de Comunicações da Escola de Logística. Essa diversidade de origens e experiências tem proporcionado excelentes oportunidades para os participantes da Companhia exercerem atividades semelhantes às que em breve exercerão nos corpos de tropa, bem como conhecerem os novos equipamentos e capacidades da Engenharia do Exército Brasileiro, além, é claro, da troca de experiências.
Além das missões de combate previstas, tais como abertura de passagem, transposição de curso de água e mergulho para salvamento de material, a Companhia tem sido acionada também para cumprir missões reais, como recuperação de estradas em propriedades cedidas para a manobra escolar e destruição de engenhos falhados.

Ações cívico-sociais atendem a população civil durante a Manobra
Não somente de exercícios de guerra é feita a Manobra Escolar 2017. Atendendo a uma das missões constitucionais do Exército Brasileiro, de atuar em ações subsidiárias para o bem-estar geral da população, foram realizadas diversas ações cívico-sociais (ACISOS) que levaram atendimento médico, odontológico e ambulatorial a diversas comunidades da região.
Os distritos de Nossa Senhora do Amparo, Falcão, Pedra Selada e o município de Porto Real, que contam apenas com Unidades Básicas de Saúde, receberam pediatras, ginecologistas, cardiologistas, ortopedistas, otorrinolaringologista, neurologista, endocrinologista, cirurgiões gerais, nefrologista e clínicos médicos, além de periodontista, dentísticos restauradores, odonto-pediatras, ortodontistas, endodontistas e farmacêuticos.
Os atendimentos foram gratuitos e realizados pelos alunos da Escola de Saúde do Exército (EsSEx). A fim de levar também lazer e cultura às comunidades, a banda dos alunos músicos da Escola de Sargentos de Logística (ESLog) realizou apresentações públicas que encantaram e divertiram os moradores.

 

 

 

 

 

 

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página